terça-feira, 29 de dezembro de 2015

mensagem natal

O post da pessoa é do ano passado, quando teve eleições. Mas 2015 não deixou o clima mais leve né?


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

3 notas sobre a capa da Veja Star Wars

Hoje tem 3!

E ficou como uma mini-retrospectiva pois usamos imagens que já tínhamos comentado em posts anteriores (aproveite e dê uma olhada nos posts anteriores!)

Revista Fórum escreveuA Época, por exemplo, vem com a chamada “O poder do Supremo”, em clara alusão à decisão desta semana; a Carta Capital seguiu a mesma linha na capa e veio com a manchete “O STF freia Cunha”. A Istoé foi por um outro lado com a capa “A confissão de Bumlai” mas ainda manteve a atenção voltada para a política, assunto que movimentou o noticiário nacional esta semana. Os jornais diários, inclusive, mantiveram a preocupação de pautar aquilo que levou brasileiros às ruas essa semana: os rumos do governo. A Folha de S. Paulo, por exemplo, deu destaque neste domingo (20), à queda da desaprovação do governo Dilma no Datafolha; enquanto oEstadão falou sobre a nomeação do novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa.
A Veja – um dos veículos impressos de maior circulação nacional -, no entanto, decidiu esquecer tudo aquilo que repercutiu em seu site ou as capas políticas de outras semanas – em sua maioria com ataques diretos ao PT – e, justamente naquela semana em que Cunha sofre uma de suas maiores derrotas, muda de assunto e coloca na capa “o futuro da saga” de ‘Star Wars’.
Madô não gosta do Levy mas acha uma sacanagem que deram tanta atenção para ele e depois nem ligarem muito quando saiu. Mas Veja é assim mesmo, ela usa as pessoas para sustentarem uma posição e depois descartam. Levy foi usado como imagem de uma economia que os neoliberais defendem e como o desempenho econônico foi ruim foi esquecido. Há outros casos, por exemplo o biógrafo de Che se sentiu usado, e no caso da questão indígena, um antropólogo disse que Veja fabricou uma declaração sua, a questão está na Justiça.


 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Economia e impeachment

Mundo estaria crescendo, Brasil seria um dos únicos em recessão por incompetência exclusiva da Dilma, e agora se admite que existe crise mundial?
Fonte do primeiro gráfico: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,goldman-sachs-entre-12-maiores-economias-do-mundo--brasil-sera-unico-pais-em-recessao-em-2016--,1799004 O segundo é print de uma pessoa que postou no facebook.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Pós feriado da consciência negra

Ano passado o dia da consciência negra (20 de novembro) caiu numa 5° feira, ou seja, nas cidades onde é feriado (como São Paulo), era feriadão de 4 dias. Após o descanso era hora de voltar a trabalhar e a âncora solta um comentário infeliz.
 http://www.portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/69488/hoje+e+dia+de+branco+dia+de+trabalhar+diz+ancora+apos+feriado+da+consciencia+negra


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

REPLAY: Arrevista debate


Em 2008 Veja estava comemorando 40 anos e promoveu um debate, daí a turma da Arrevista (que quer alcançar a Veja) promoveu um debate também! 
Mas, antes, umas palavras:
Para Arrevista - Debate concentramos nossa crítica ao fato do debate tentar disfarçar a superficialidade e parcialidade da revista, para esse REPLAY, pesquisamos um pouco para relembrar como foi o evento que a Veja preparou, e tal como vinho que envelhece bem e ressalta seu sabor, vimos com satisfação que a cutucada que Arrevista deu na Veja ficou ainda melhor!

Isso porque olha, quem tava no debate:

Para comemorar seus 40 anos,  a revista Veja realiza nesta terça-feira o seminário "O Brasil que queremos ser", no hotel Unique, em São Paulo. Durante a manhã foram discutidos os temas educação, com a presença do ministro Fernando Haddad, meio ambiente, com o ministro Carlos Minc e economia, com os presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles, e do BNDES, Luciano Coutinho.
O vice-presidente José de Alencar também participou do evento encerrando a série de palestras da manhã. "Quero parabenizar e desejar saúde para Civita e sua família e para aqueles que fazem a Veja e nos ajudam a ver o Brasil", disse Alencar.
Após o almoço servido para os convidados o ciclo de palestras continua. "O Papel da Impresa" será discutido com o ministro Ayres Britto e o deputado federal Miro Teixeira. O próximo seminário, com a presença do ministro Patrus Ananias, é "Democracia, raça e pobreza".
(fonte: http://propmark.com.br/midia/veja-mostra-o-brasil-que-queremos-ser)

Fernando Haddad (PT, atual prefeito de São Paulo) no evento da Veja!! Eos também petistas CArlos Minc e Patrus Ananias, que foi hostilizado há pouco mais de 24 horas! (Patrus xingado em restaurante: http://lpl.com.br/portal/pt/empresa/portfolio/galeria-de-imagens/fotos-2013/25-galeria-de-imagens/fotos-2008/227-200809-veja-40-anos.html)

Os outros participantes não são tão chocantes de terem sido convidados pela Veja (Henrique Meirelles estava no governo Lula, mas era ex-tucano, Miro Teixeira mudou diversas vezes de partido, ficou no PT um ano, naquele ano estava no PDT e hoje está na REDE, José Alencar, apesar de que era vice de Lula, era querido pelos empresários brasileiros).

Como é que esses nomes estavam no evento da Veja? Nomes que hoje em dia seriam impensáveis? Acho que vendo Arrevista dá para adivinhar um pouco o que houve:






segunda-feira, 26 de outubro de 2015

já esqueceram das adolescentes estupradas?

Nós brasileiros temos a memória muito curta... em junho (menos de meio ano!) a Madô já tínhamos abordado o tema, e agora...

Para saber mais sobre o Projeto de Lei, tem a não-entrevista na TPM.

Para a edição dessa semana a Veja diz "nunca na história desse país se sentiu tanta falta de um ex-presidente", eu diria que nunca senti tanto a falta de uma capa da Veja, para fazer as pessoas relembrarem que estupro é horroroso e é necessário apoiar mais, e não menos as vítimas!


terça-feira, 13 de outubro de 2015

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

feminicídio x estatuto da família

Menos mal que o feminicídio como crime hediondo já foi aprovado a nível nacional (a ONU elogiou), enquanto que o Estatuto da Família apenas foi aprovado dentro de uma comissão da Câmara. Mas é preocupante de qualquer modo...

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

REPLAY: Arrevista presidente (o sonho do editor da Arrevista)



Outro dos tempos de Lula.

Dizem que piada explicada perde a graça, mas vou acho que vale a pena correr esse risco e colocar umas considerações:

O quadrinho sintetizou de uma forma engraçada algo que se pensarmos bem é muito sério: substitua o "ir ao banheiro" por medidas que o presidente queria tomar mas a oposição não quis deixar e o "mijar nas calças" por consequências da medida governamental não ter sido tomada. "Quer passar por cima da oposição?", "só vocês sabem o que fazer?" foram baseadas nas falas reais da oposição em vários assuntos da política pública, que, é claro, diferente do "mijar nas calças" não causou repercussão, mas tiveram consequências, consequências estas não apenas para o dono das calças mas para o país como um todo. Se a oposição comemora a "calça mijada"? Claro! Qualquer coisa que tenha contrariado o governo é comemorado, e, vejam bem, muitas vezes prejudicando o país.

Querem ver?

Substitua:

"Querer ir ao banheiro" por "construir trem-bala para a Copa"
"oposição não deixar" por "Serra atrapalhar os planos"
"mijar nas calças" por "trem-bala não saiu"

e você tem uma coisa assim:

(de http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,serra-diz-que-merece-medalha-por-ter-atrasado-trem-bala,1603244)

Daí pergunto: quem está de calça mijada? Não somos nós?

Podemos pensar em outros exemplos, como a Dilma ter proposto participação popular, e a oposição ter dito que era "autoritário", "bolivariano", etc



Em São Paulo o prefeito Haddad (PT) quis reajustar o IPTU (esse reajuste era obrigatório), houve uma gritaria contra o reajuste, e até mesmo as pessoas que passariam a pagar menos estavam contra Haddad, pois foram levadas a acreditar que pagariam mais. (Quando IPTU é um imposto progressivo, quando os ricos pagam mais e os pobres, menos). Até pobres acabaram aplaudindo quando a Justiça barrou o reajuste do IPTU 2014. Para o IPTU 2015 a Justiça liberou o reajuste (sim, o mesmo reajuste, a lei 15.889/2013) e como resultado, metade da cidade teve isenção ou redução do IPTU 2015. O interessante é que a prefeitura devolveu R$ 196 milhões para as pessoas que acabaram pagando a mais, mas não cobrou daqueles de pagaram de menos:

"Cerca de 1,6 milhão de contribuintes que teriam aumento do IPTU em 2014 precisariam pagar a diferença ainda neste ano mas não terão de fazer um pagamento adicional até o fim de 2014. Para os contribuintes que deveriam ser isentos ou teriam redução do seu IPTU em 2014, cerca de 454 mil, a Prefeitura fará a compensação ou restituição dos valores pagos a mais." (de http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/11/isencao-ou-reducao-do-iptu-em-2015-atingira-metade-dos-domicilios-em-sp.html, o gráfico acima também é do G1, note que 40% + 12% é até mais da metade e representam isenção ou redução do IPTU)

Colocando uma legenda do óbvio (o que é necessário nesses tempos): Não houve revanchismo contra os ricos (contrariando o que dizem que o PT faz).

Então para encerrar, deixo uma questão para reflexão: dizem que a crise econômica agora do governo Dilma é culpa do próprio PT não ter aproveitado os bons anos do período Lula para implementar reformas, mas será que a oposição deixou essas reformas acontecerem?

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

REPLAY: Arrevista: quando lançamos como zine...

Uma das melhores lembranças da série Arrevista é que houve um lançamento em forma de zine, que foi divertido pois foi no formato de papel higiênico. Houve lançamento na Semana da Arte Modesta, , que espalhou essas privadas coloridas pela Puc-sp, combinando perfeitamente com o zine! Por muito tempo era possível também encontrar o zine na Livraria HQMix, que foi uma pena que fechou...






Bem, como se vê, eram os primeiros anos do PT no poder, e daí essa visão bastante ingênua....

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

REPLAY: Arrevista Satiagraha (comentando decisão Justiça 20/8/15)

Vi que saiu recentemente a decisão da Justiça quanto à Operação Satiagraha: ela foi anulada (http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/stf-confirma-anulacao-da-satiagraha-e-condenacao-de-protogenes-queiroz/)

Essa Operação com certeza  vai ficar para história...na época fizemos fizemos alguns quadrinhos, como esse:


Agora (2015) que a Operação foi anulada, podemos considerar, que tal como no quadrinho acima, o que foi investigado não será considerado.

Além disso fica evidente que a Justiça para ricos funciona de um jeito muito diferente da Justiça para pobres
(quanto à tortura http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL746972-5605,00-HOMENS+QUE+DIZEM+TER+CONFESSADO+CRIME+SOB+TORTURA+DEIXAM+PRISAO.html)


Era uma época curiosa: muito diferente de agora, em que se fala em Lava-Jato e se vibra a cada descoberta, se reclamava que a polícia investigava demais, e que assim acabaríamos numa "Grampolândia" (vide por exemplo o texto "Bem vindo à Grampolândia" http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/bem-vindo-a-grampolandia-b606ggp62q8zv1mffuja94hn2)
 "Termos como “Estado Policialesco”, “guardião” e “big brother” fundiram-se no conceito da existência de um país dentro de outro, a “Grampolândia”."

A posição da Veja? Bem, com um banqueiro sendo alvo de investigação... adivinharam??

 
Deixei a capa grande para vocês lerem a última linha: investigaram até a Dilma.

Ora, ora, hoje em dia o pessoal se esqueceu totalmente do perigo de vivermos numa Grampolândia e qualquer investigação que envolva a Dilma, por mais "tenebrosa" que fosse seria apoiada incondicionalmente pela Veja.


Aliás apesar da Polícia Federal ter sido criticada na época pelos métodos de investigação, a mídia nunca fez auto-crítica, é isso que quis dizer no quadrinho acima.

 Acima, se trata do assassinato de reputação.

Aliás, quando tava procurando por "assassinato de reputação", olha o que acho, mais uma coisa da época:
 (do dossiê do Nassif https://sites.google.com/site/luisnassif02/intocavel2)

A nota da Monica Bergamo está aqui: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1703200907.htm

Já em relação à garota que pichou a Bienal, se refere à isso aqui: http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2008/12/12/caroline_presa_e_dantas_livre-_viva_a_justica_/

Pois é, lá em cima o quadrinho mostrou que o rico não pode ser algemado, enquanto o pobre pode ser torturado e ficar anos preso. E classe média (caso da garota)? Fica 53 dias presa, mesmo com o Ministro da Cultura Juca falando para soltar. Já o Dantas é preso e solto 2 vezes em questão de 48 horas:

 (comentário da BBC de Londres, vide Wikipedia sobre a Operação: https://pt.wikipedia.org/wiki/Opera%C3%A7%C3%A3o_Satiagraha)

(acima, da RBS http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2008/12/apos-53-dias-presa-estudante-que-pichou-bienal-e-solta-2340101.html)


E por fim a última tira da série, que foi baseada na resposta do Juiz De Sanctis:
"Saliento, outrossim, que o sigilo dos processos surgiu no Século XIV para proteger aqueles que acusavam pessoas vinculadas ao rei e que, por isso, poderiam sofrer represálias." (http://www.conjur.com.br/2009-jul-21/leia-decisao-sanctis-contesta-publicidade-restrita-autos)

CONCLUSÃO

Enfim, agora em 2015 a Justiça anulou a Operação Satiagraha, que pretendia prender o Banqueiro Dantas, e tinha suscitado o "pavor" de vivermos numa Grampolândia, estado policialesco... no texto Bem-vindo à Grampolândia vê-se que o deputado Itagiba (PMDB) falou até em nazismo:

Aliás, é mais ou menos dessa época a prisão da dona da Daslu, Eliana Tranchesi condenada a 94 anos de prisão:
Novamente a Justiça sendo contestada em caso de prisão de ricos...
E que também virou quadrinho:


Bem, então o delegado de investigador passou a investigado, pelos excessos. Ao que tudo indica, realmente havia exageros, vide http://www.fabiocampana.com.br/2009/03/protogenes-bisbilhotou-ate-a-vida-amorosa-de-dilma/, embora na minha opinião, hoje em dia não há garantia de que outros delegados estejam fazendo os mesmos excessos. E o pior, se ele foi criticado por bisbilhotar até a Dilma na época, hoje em dia isso seria naturalizado (desde que seja contra o PT até golpe de Estado estaria valendo...).

Enfim, não fica a sensação de que as críticas da época à Grampolândia serviram para melhorar alguma coisa, até na questão de espetacularização das investigações e vazamento de informações a jornalistas (alguns dos argumentos para condenação do ex-delegado Protógenes), o que se vê hoje são coisas como o vazamento seletivo da lista do Youssef (mais PT e pouco PSDB), o que culminou em coisas como essa espetacularizada capa da Veja (edição extra da Semana das eleições, em outubro 2014)
A Veja foi condenada pela Justiça Eleitoral a oferecer espaço para direito de resposta, por causa dessa edição que tinha o propósito de tumultuar as eleições com notícias vagas (eles teriam ouvido Youssef dizer, mas logo depois o advogado dele negou - se quiser entender vide http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2014/10/25/veja-desmacarada-tse-da-direito-de-resposta-ao-pt-e-veja-tera-de-publicar-hoje/).

E como disse, está sendo seletivo, pois agora é que aparece o lado do PSDB http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2015-08-25/aecio-recebeu-propina-de-contratos-de-furnas-afirma-youssef.html

Protógenes está descontente com a a anulação da Operação, para ele, houve inversão de valores. Acho que se houve excessos, o ex-delegado tem de pagar (e está pagando com serviços comunitários), mas anular uma operação para desconsiderar as evidências já encontradas é complicado, não deveria ser assim.

E se amanhã anularem as operações contra o PT (com base em argumentos que anularam o Satiagraha), não vou mudar de opinião achando que é o certo, pois a Justiça continua sendo diferente para os ricos. A mídia na época da Grampolândia dizia que não estava apoiando Dantas, mas alertando sobre os perigos policialiescos para o cidadão comum, o que defendo é essa pauta que a própria midia esqueceu: que a Justiça seja equilibrada e vá se aperfeiçoando com o tempo.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

REPLAY: Arrevista ("A revista arrivista") 1 a 4 - ATUALIZADO

ATUALIZAÇÃO (18/8/15): Acréscimo da tira 4 E CONTEXTUALIZAÇÃO
(publiquei na pressa e percebi que separar as tiras 3 e 4 não faria sentido, e faltou também a contextualização)

Turbulências pessoais (férias e projetos futuros) estão atrapalhando a criação de algo inédito, mas para não deixar o leitor sem nada, o REPLAY de Arrevista ("a revista arrivista"), série de 2007, criticando o comportamento da imprensa.


CONTEXTO: Estava começando a briga Luis Nassif x Veja, e Reinaldo Azevedo se referia a Nassif como "Nassifu" ou "Nassifudeu" (vide abaixo)
(imagem extraída do Dossiê A Cara da Veja, de Nassif)



CONTEXTO: As insinuações da Veja são um caso de covardia: eles não afirmam mas fazem o leitor pensar do jeito que querem. quanto a "fulano é gay" se refere ao episódio envolvendo o Ronaldo e uma travesti. Veja abaixo a capa: "A escolha de Ronaldo", insinua que se refere à opção seuxal