quarta-feira, 16 de agosto de 2017

desculpe a falta de posts, hoje fiquem com carta do Henfil

Olá pessoal! Desculpem que está demorando algo novo aqui! Estava de férias, e agora, na volta das férias, estou sentindo um cansaço meio inexplicável! Talvez por causa de umas questões familiares, do trabalho, estudos... enfim o que nos acomete de vez em quando.

Mas não desisti do blog, podem ficar tranquilos, penso como será a nova série, cuja ideia (ao menos por enquanto) é só ter patos, para refletir esse estado de desânimo das pessoas.

Aqui vai uma carta de Henfil, que dá uma amostra das próximas tiras:

(extraído de http://www.culturabrasil.org/henfil_cartas_da_mae.htm)

São Paulo, 9 de janeiro de 1980.
 
Mãe,
 
     Sem piadinha. Vou me abrir.
     Eu tenho acordado de uns seis meses para cá sem ânimo, sem esperança, sem vontade de brilhar, de lutar, de mudar a Lucinha, O Brasil, o mundo, o universo!
     Muitas noites eu não durmo, assombrado. Pensando assim: tô ficando velho, é isso. Talvez o pessoal odara tenha razão e eu já seja coisa antiga.
     Passo então a pensar angustiado em como enfrentar minha velhice tomando fortificantes, complexo B, mudando meu guarda-roupa.
     Bão.
     De repente eu percebi que o mano Betinho e a Maria também estão de farol baixo.
     Aí, anteontem, pego o jornal e vejo o resultado da pesquisa Gallup que dizia que 71% dos brasileiros estão pessimistas. Há uma epidemia de desânimo e impotência assolando o país nesse exato momento!
     O atual sistema, para governar, nos fez pessimistas. E pessimista não dorme, não faz amor, não faz partidos, não incomoda, não reclama, não briga.
     Que diabo de país é este?
Pessimistas de todo o Brasil, uni-vos! Somos a maioria! Às ruas!
 
Henfil

sábado, 15 de julho de 2017

REPLAY 15 de julho: 150 anos do prefácio de O Capital

Essse ano a obra O Capital de Karl Marx completa 150 anos, e 15 de julho não foi a data da publicação, mas antes do livro ser enviado para a prensa, Marx escreveu o prefácio da 1° edição, cuja data consta 15 de julho de 1867.

Esse é um REPLAY pois essas páginas adaptando a obra de Marx foram feitas anos atrás, e confesso que para os 150 anos, o plano era ter feito muito mais páginas, mas não tive tempo para isso (e confesso que além da data, recorro ao REPLAY pois essa semana foi muito corrida). Quem sabe no futuro consiga reeditar, num formato um pouco menor para caber mais fácil nas telas de mobile, acrescentar o que esbocei anos depois como continuação, e criar outras páginas inéditas.

Abaixo os personagens que desenhei a partir de fotos que encontrei: Marx adulto (1), Marx jovem, Marx adulto (2) e Jenny Marx. Mas quanto à Jenny Marx, há um erro: apesar de estar popularizado na internet que a foto é de Jenny, a biógrafa Mary Gabriel que escreveu "Amor e Capital" mostrou no livro dela que a foto é de outra pessoa próxima à família e erroneamente foi atribuída à Jenny (pesquisem no livro dela para saber quem!).

 Abaixo as páginas, cliquem nelas para aumentar o tamanho.